Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contracorrente

Reflexão num minuto (8)

Alexandre Abreu: "Salário mínimo: dignidade e bom senso":

O aumento do salário mínimo é uma questão de decência e dignidade básicas. Visa evitar que quem vive do seu trabalho viva na pobreza e visa evitar que quem contrata possa aproveitar o desemprego generalizado para explorar de forma inaceitável. Na distribuição funcional do rendimento, o aumento do SMN irá com certeza aumentar a componente salarial à custa do excedente de exploração – e ainda bem que o fará, pois estará a recuperar rendimentos para quem mais tem sido penalizado nos últimos anos, corrigindo um grave desequilíbrio introduzido pelo último governo. Contribuirá de forma efectiva para reduzir a desigualdade, que a direita lamenta nas palavras mas promove nos actos. E implicará certamente um aumento da procura no mercado de bens, a qual – perguntem aos empresários – é há muito o principal factor limitador das intenções de investimento em Portugal.

Vias rápidas

Existem três vias rápidas para desenvolver a nossa democracia e, indirectamente, a economia;
1. Reformar - agilizando - a Justiça
2. Diminuir os níveis de abstenção
3. Aumentar os níveis de participação cívica e partidária dos cidadãos.

Pelo 1, incentiva-se a economia a funcionar. Pelo 2, estimulam-se as boas praticas de governação. Pelo 3, dinamiza-se a sociedade civil, o seu papel complementar de solidariedade e apoio aos mais pobres e necessitados e se cria uma sociedade civil viva e actuante, como existe nos países mais desenvolvidos do mundo.